quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O fim que o mundo já previa...


Quando um ditador sai do poder, existem apenas dois meios disto acontecer: ou ele abdica de sua posição e entrega o governo para a oposição que existe ou é morto pela mesma oposição. Pois bem, neste dia em que essa matéria vai ao ar, esse dilema foi resolvido pela segunda opção na Líbia. Muamar Kadafi, o homem vivo (até hoje) que havia permanecido mais tempo no poder, foi morto em um confronto com forças do CNT (Conselho Nacional de Transição), que assumiu o governo provisório do seu país há uns dois meses.

"Kadafi foi retirado do duto (onde se encontrava na hora do assalto ao local onde estava) sem resistir. Quando o levávamos, foi atingido por um disparo no braço direito e então colocado em uma picape", disse Jibril (Primeiro-Ministro Líbio) ao ler um relatório forense. "Quando o carro se movia, foi pego no fogo cruzado e atingido por uma bala na cabeça. O médico forense não pôde dizer se a bala era dos revolucionários ou das forças de Kadafi."

Tal ato representa oficialmente o fim da tirania deste monstro, que havia entrado no poder com o apoio do povo, contra o rei Líbio décadas atrás. Hoje, o país que detêm o maior IDH da África (algo que ninguém comenta, afinal se esquecem que no começo, este homem fez reformas que ajudaram a população como um todo e promoveu grandes avanços naquela nação... Pena que o poder, já por diversas vezes na história da humanidade, corrompe os homens) finalmente alcançou sua desejada liberdade, mesmo que com grandes perdas e sangue nas mãos que todas as revoluções carregam.

"Longe está o dia em que os homens pararão de se degladiar e se lembrarão que a razão que lhes foi dada, poderia evitar qualquer conflito." V. A. Magalhães

Via: Último Segundo

3 comentários:

Kel Costa disse...

Cedo ou tarde isso ia acontecer mesmo... Só é uma pena que para que isso fosse possível, tanta desgraça ocorreu :x

Bjs,
Kel
www.itcultura.com

Beatriz Gosmin disse...

Ahh, isso demorou para acontecer não? Era previsto mesmo.

Beijos

Estefânia disse...

Tava mais do que na hora de acontecer, era muito sofrimento :/

beijo

Postar um comentário