terça-feira, 25 de setembro de 2012

Por que devo ler "O Reino de Mira"?

Por Victor Alves

Bem, ninguém melhor que o próprio autor para falar sobre sua obra, isso é um fato. Entretanto, acho que uma opinião nada imparcial (afinal sou amigo dele), porém sensata (até certo ponto), também deve ser considerada! 

Ao saber que o livro estava perto do lançamento não resisti em sair de meu exílio auto-imposto do blog, até o vestibular passar, para tentar mostrar referências e qualidades que meu colega é por demais modesto para falar.

Começando pelas bases: Além dos autores nacionais de fantasia, como André Vianco e Raphael Draccon, e internacionais, como Tolkien e C.S.Lewis, o meu caro amigo recebeu influências das mais diversificadas ao longo de sua formação (sei disso, pois boa parte de nossa infância foi compartilhada, só para constar...) e sei que obtivemos uma base litarária extremamente diversificada, devido aos paradidáticos escolares (que devorávamos), por livros que trocamos entre os amigos ou pela leitura que nossas respectivas famílias sempre incentivaram.

E vai além! Gostamos sempre de História no colégio e fizemos, quase sempre, os trabalhos maiores em equipe. Sempre gostei de saber o lado político das relações sociais nos diversos povos que estudamos, porém, Lins seguia por outro aspecto e gostava de saber hábitos, contos regionais e aspectos mais humanos das sociedades. Exemplo disso? Vou utilizar da própria sinopse que ele fez no último post: a princesa Mira, por ser da realeza, está presa aos muros de seu palácio e não pode ter contato com o exterior, não é? Certos imperadores do oriente tiveram esse hábito e a casta mais elevada, na época de Buda na Índia, muitas vezes, nunca conhecia o mundo exterior. Como referência literária temos a saga "Deltora Quest", de uma autora australiana, onde os governantes eram iludidos pelos seus conselheiros que não permitiam o contato da nobreza com o mundo exterior para estes não verem os absurdos que a população sofria.

Viram? Isso foi apenas uma pitada das referências que creio que encontraremos ao longo da jornada de Mira. O conhecimento adquirido ao longo da formação do meu colega permitiu que este desenvolvesse um senso crítico e um amor pela escrita admiráveis. A empolgação, quando ele descobria algo novo, era espetacular e que forma melhor de demostrar tudo isso que ele absorveu em uma obra sua, com toques das diversas influências que ele teve na vida e sua visão de mundo?

Acredito, sinceramente, que este romance de estreia do meu amigo seja o primeiro de muitos que estão por vir e que ele irá conseguir alçar grande repercussão no mercado literário brasileiro (e por que não mundial? Olha que a torcida é forte!). Como amigo, apenas espero que ele se divirta e tenha sucesso no caminho que escolheu trilhar e que os "bons ventos" de que ele tanto fala sempre o guiem.

Parabéns meu caro e que a sua obra seja um deleite para aqueles que acreditaram neste novo nome do mercado nacional. Pois, tenham certeza, vocês não irão se arrepender com o que este rapaz tem para nos contar.

4 comentários:

Beatriz Gosmin disse...

Já me convenceu!

Muito bom o seu post, passeou bastante confiança e espero que muitos sintam vontade de ler o livro!

Beatriz Gomes disse...

Parece ser o tipo de história que me faz viajar junto, etc etc etc ♥

Lerei! <3 Parabéns pelo livro!

Lins disse...

Obrigado, Bias!
Espero que gostem do livro! =D

Abraços!

Estudo na Certa disse...

-Eu leio alguns livros não muitos mas alguns bem conhecidos, eu li "O reino de Mira" comecei hoje e terminei de ler hoje, amei a história por completo fiquei fascinada com o modo na qual o autor que por um acaso é filho da minha professora usou pra expressar, todos os detalhes bem descritos, como por exemplo o costume do povo na qual são bem especificados no decorrer da história, amei o final e partes como a que Pedro se declara para Mira e a que Chris fala para Mira pouco antes de seu casamento sobre a saudade quando Mira lembra de sua infância. Então eu queria parabenizar Matheus Lins pela sua bela obra!!!'

Postar um comentário