segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Um final de mestre.



Atenção: contém spoilers.
Premonição 5 encerra uma incrível saga de um terror diferenciado que inovou na década de 2000 ao colocar  assassinos incondicionados para realizarem os assassinatos (a morte e o destino).
O último filme traz as telonas nas versões 3D e 2D, uma incrível sequência de mortes. O estranho do filme é que durante todo o tempo ele te induz a pensar em quem será o próximo e como acontecerá a morte do personagem, e é aí que ele te surpreende porque apesar de que você consiga imaginar as cenas com uma relevância surreal, tudo acontece exatamente diferente do que você pensou. Confesso que isso chega a ser macabro.
Entretanto, a história se assemelha exatamente a todas as outras, o grande diferencial dela foi o que realmente me motivou a fazer essa postagem e dá a ela o título que ela tem: o final. Este foi muito bem bolado, em outras palavras, pode ter sido considerado de mestre. Através dele, os roteiristas fecharam um ciclo que acompanharam os mais diferentes personagens desde o primeiro filme. E o final do último filme é exatamente o começo do primeiro. As histórias se uniram em uma só, apresentando ao telespectador todo o círculo de premonição, e deixando instalado em nossos ouvidos uma típica frase do filme (que não citarei para que o final não perca toda a graça).

2 comentários:

Beatriz Gosmin disse...

Ai credo, não assisto esse filme nem que me pague! rsrs

Bia | Blog Livros e Atitudes

Kel Costa disse...

Achei o filme muito forçado em algumas mortes, mas tenho que concordar que o final foi muito bem bolado, adorei e me arrepiei quando a ficha do que estava para acontecer caiu!

Bjs,
Kel
www.itcultura.com

Postar um comentário