segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Percy Jackson e O Último Olimpiano.

Aprovei. A série que se mostrava ao início decente e passou pelo conceito de fórmula pronta ("que odeio tanto") superou, em seus últimos livros, esse empecilho, que deu origem ao: 
"O Último Olimpiano".

Para começar, temos logo nos primeiros capítulos um ritmo frenético de ações que finalmente nos levam ao estado que o autor desejava, vindo láááááá do segundo livro ("que é o pior, como gosto de ressaltar") e começando para valer do terceiro para o quarto... Riordan em sua conclusão da saga dos semideuses gregos, consegue nos fazer sentir que finalmente estamos em um campo de batalha envolvendo criaturas mitológicas de grande poder e que fazem os heróis tremerem. O fator que eu sempre reclamava, relacionado com a facilidade com que eles matavam os monstros vindo do início desta coleção, finalmente foi alterado e percebemos a dificuldade nas lutas que eles travaram... O único fator que ainda me incomodou um pouco foi a relativa "equivalência" entre os garotos e os titãs, algo que mesmo demonstrando os semideuses mais vulneráveis, ainda os colocava em certo "pé de igualdade" sem uma explicação muito convicente.

Agora irei entrar nos Spoilers, pois preciso muito comentar algumas coisas com vocês, quem não leu e não gosta de ficar sabendo antes das coisas PULEM este parágrafo: Que final irado em pessoal? Poxa, quem conhece sabe do que estou falando... realmente não esperava uma reviravolta daquela, talvez pelo autor nunca nos ter dado um gostinho daquele antes, pois até conseguíamos prever o que iria ocorrer devido as profecias em seus livros anteriores... Outro fator a realçar é finalmente aqueles dois terem começado a namorar... Foi um casal bem construído, principalmente por serem tão "opostos" e discordarem tanto mas nunca deixaram o outro sem ajuda e no quesito de proteção e cuidado que tinham pelo outro, ficou muito bonito e clichê, mas o que seria nossa vida sem clichês não é? "Agora uma pergunta para as meninas: Se um cara recusasse a imortalidade só para ficar junto com vocês, vai dizer que ele não merecia uma chance? Creio que não há prova de amor maior... Se bem que se Percy tivese virado deus, ele poderia transformar Annabeth em sua esposa imortal, assim como Dioniso fez e aí eles viveriam felizes para sempre... MESMO! Mas deixa pra lá (ele não é reconhecido pela inteligência... aposto que Annabeth deve ter pensado: "putz".), mas continuou sendo romântico da mesma forma." Batalhas fenômenais e a Maldição de Aquiles como sacada para ele combater e dar uma chance aos deuses foi bem interessante, apesar deles terem dito várias vezes que aquilo "iria cobrar seu preço" não vemos isso ocorrer... Creio ser no gancho que ele faz para sua próxima série que veremos isso, porém acredito ter acabado com minha cota de Rick Riordan por um tempo.

Uma série voltada para o público juvenil que realmente agrada quem gosta do genêro fantasia. Recomendo esses livros como um passatempo bem relaxante e que não exige muita instrospecção ("que não deve ser exigida mesmo...").

Agradeço a minha querida Amanda Figueiredo que fez o sacrifício de emprestar todos os livros ("sei do ciúme que ela possui com estes") para que minha pessoa pudesse apreciar seu gosto por literatura (mesmo que ela não goste de Tolkien, ainda consigo conviver com ela...). Foi um prazer falar desta saga para vocês e logo ("Bem... não tãããão logo assim pois o livro possui mais de 800 páginas") voltarei com mais livros, agora falando sobre o terceiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo: "A Tormenta das Espadas"... Aguardem!

2 comentários:

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha! Muito em breve pretendo ler Percy Jackson. Abraços!

Jornal da comédia-Carol disse...

Muito boa a resenha, li a série a tempos e gostei bastante, mas não me contentei com o resultado da profecia. Sei lá, queria algo mais. rsrs

Adorei o final dos dois juntos!
*o*

Beijos
Bia | Blog Livros e Atitudes

#Promo: Harry Potter é pra sempre! Participe!

Postar um comentário